História


A Casa do Estudante de Pernambuco nasceu do sonho dos estudantes da década de 30

Em 1930, o Recife era um centro universitário da maior importância, com as faculdades de Direito, Medicina, Engenharia, Farmácia e Odontologia funcionando.

Para a capital vinha um grande número de jovens, do Norte e Nordeste do Brasil, atraídos pela fama de suas escolas superiores.

Com isso, a população de estudantes aumentava. E muitos, destituídos de recursos, apostavam toda a sorte de sacrifícios e privações para conseguir se manter em Recife e concluir o curso em uma universidade. Alguns ficavam pelo caminho por falta de recursos. Outros dependiam de ??repúblicas?intaladas em sobrados insalubres.

Os estudantes idealistas dos anos de 1930 criam o projeto da CEP

As dificuldades levaram um grupo de estudantes idealistas da época a criar o projeto da Casa do Estudante Pobre de Medicina. A idéia surgiu em julho de 1931 com a equipe do Centro Acadêmico da Faculdade de Medicina em viagem à Paraíba para homenagens póstumas ao grande João Pessoa.

Integrantes do Partidio Revolucionário da Faculdade de Medicina também seguiram na viagem na qual aconteceu o debate para a criação da Casa do Estudante.

A idéia inicial era criar um abrigo em prédio já existente, mas os acadêmicos Livino Pinheiro, Jarbas Brandão, José Maurício do Nascimento e Ribeiro Pessoa sugeriram construir um edifício sólido, amplo e moderno.

Foi quando a Jazz Band Acadêmica, formada, fazia pouco tempo, por estudantes das nossas escolas superiores, juntou-se aos idealistas no intuito de trabalhar com eficiência pela ideia, que, então, já era o ideal de uma mocidade.

Organizaram-se festivais, bailes; distribuíram-se listas com pedidos de doação; realizaram-se excursões ao interior do Estado. Com isso arrecadou-se dinheiro para a construção. O terreno foi doado pelo governador da época, Carlos de Lima Cavalcanti.

Estudantes ganham o terreno e lançam a pedra fundamental

A pedra inicial do futuro abrigo do estudante pobre foi lançada no dia 24 de outubro de 1932, no Derby, onde estavam localizados os dois lotes de terreno. De acordo com balancete publicado no jornal Diário da Manhã, as obras seguiram até o final de 1933 quando os recursos foram acabando. Livino Pineiro, o admirável condutor da obra formou-se em Medicina e deixou a direção da Casa.

Em 1936, a sede da entidade foi implantada em um sobrado, à Rua Gervásio Pires, 333, centro do Recife.

Nesse mesmo ano, a I Festa da Mocidade rendeu um bom dinheiro e o governador Carlos de Lima Cavalcanti prometeu terminar a obra do prédio no Derby. Em 1937, o estudante Gaspar Regueira Costa assume a direção e faz uma marcante administração.

De tão marcante e notável a administração de Gaspar, dizia-se, nos anos de 1950, que ele tinha sido o fundador da CEP. Com isso, a construção foi retomada em 1938 e, em 21 de setembro do mesmo ano, a Casa do Estudante de Pernambuco foi inaugurada.

Veja no vídeo abaixo um panorama de toda a história da CEP